Mirna Queiroz

Diretora Executiva

Mirna Queiroz tem uma extensa carreira dedicada ao jornalismo, à edição literária e à cultura.

Entre 1988 e 2005, no Brasil, ocupou vários cargos na TV Bandeirantes, TV Record e TV Gazeta. Foi também correspondente da BBC em Lisboa, Bruxelas e Singapura. 

Em 2004 organizou, em Singapura, o primeiro festival de cinema brasileiro no sudeste asiático, com apoio da Petrobras (Brazilian Film Festival Singapore).

No terceiro setor, teve uma experiência curta mas formadora como Program Officer na United Nations Development Programme (UNDP), agência da ONU para o desenvolvimento, em São Tomé e Príncipe, onde foi responsável pela execução e coordenação técnica, financeira e administrativa de projetos de boa governança e redução de pobreza, capacitação de jovens e promoção de atividades geradoras de recursos financeiros.

No regresso ao Brasil, foi Coordenadora Editorial da editora de origem portuguesa Babel (editora do poeta Fernando Pessoa), sendo responsável pelos primeiros 15 títulos entre clássicos e ficção contemporânea.

Foi fundadora e editora executiva da premiada revista Pessoa, plataforma digital centrada na produção literária contemporânea de língua portuguesa, fundada em 2010, em São Paulo, Brasil, com o objetivo de promover o diálogo entre as literaturas dos países lusófonos e difundi-las no mundo. Em 2016, o jornal Valor Econômico destacou a revista como "uma das iniciativas mais inovadoras e plurais surgidas na cena literária nos últimos anos" e, em 2023, a Folha de S.Paulo descreveu-a como "uma revista prestigiada em círculos literários". Foi uma das revistas mais lidas sobre literatura de língua portuguesa, com cerca de 300 mil leitores oriundos de vários países. Em 2019, a revista ganhou o Prêmio IPL Retratos da Leitura, categoria Mídia, no Brasil. Em 2023 foi anunciado o encerramento da revista Pessoa e a doação do seu espólio à Universidade de São Paulo.

Em 2018, Mirna Queiroz venceu o concurso para conceber o Centro de Referência do Museu da Língua Portuguesa. Ainda em 2018, foi também co-curadora do Oceanos-Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa, um dos mais reconhecidos prémios literários no mundo lusófono.

Na última década, organizou vários eventos de promoção da literatura de língua portuguesa nos EUA, França, Bélgica, Portugal, Brasil e Emirados Árabes Unidos, com apoio de entidades governamentais e corporativas.

É autora de alguns livros sobre escritores portugueses, como Camões e Fernando Pessoa, publicados no âmbito do projeto "Vidas que não acabam" e distribuídos com o jornal Público.

É formada em Jornalismo pela Universidade Católica de Santos e mestre em Estudos Culturais pela Universidade de São Paulo (USP), com uma dissertação sobre o impacto do digital na leitura literária. Tem nacionalidade brasileira e portuguesa.

mirna.queiroz@kefoundation.eu